0

A esclerose múltipla (EM) é uma doença autoimune neurológica em que o sistema imunológico ataca o sistema nervoso, causando lesões e inflamações nos neurônios e comprometendo o funcionamento deles.

Infelizmente, há muito desinformação e mitos difundidos sobre a doença. Confira a seguir mitos e verdades sobre a doença.

MITO A esclerose múltipla é mais comum em idosos

Muitos acreditam que a EM seja uma doença de “velho”, mas a maioria dos diagnósticos acontece entre os 20 e os 40 anos.

VERDADE A esclerose múltipla atinge mais mulheres

As mulheres têm pelo menos duas a três vezes mais probabilidade de desenvolver a doença do que homens.

MITO Mulheres com esclerose múltipla não podem engravidar

A EM não impossibilita a gravidez. Porém, a gestante com EM precisa ficar atenta aos medicamentos, pois ele podem influenciar na amamentação.

VERDADE Pessoas com EM na família têm mais chances de desenvolver a doença

Se alguém da família tiver EM, um familiar de primeiro grau terá 1 a 5% de possibilidade de desenvolver a doença.

MITO Todos os pacientes com EM acabam precisando de cadeira de rodas

A EM se manifesta de diferentes formas. Por isso, é errado afirmar que todos os pacientes terão o mesmo quadro.

MITO A esclerose múltipla é fatal e impossibilita o paciente de viver de forma saudável

A doença é crônica e não tem cura, mas não é fatal. Com o tratamento adequado, é possível viver com qualidade de vida e por muitos anos.

Reforçamos a importância de ficar atento aos sintomas para que o tratamento ainda na fase inicial da esclerose múltipla seja feito. Apesar de não ter cura, quando tratado o paciente pode viver bem e de forma saudável com a doença.

Alterações na visão e fala, falta de equilíbrio e coordenação, tontura, vertigem, fadiga e fraqueza excessiva, falta de força muscular, dificuldades cognitivas e grande estabilidade emocional podem ser alguns sintomas, principalmente em mulheres entre 20 e 40 anos, com histórico de EM. Fatores como a falta de exposição solar nos primeiros meses ou anos de vida, o sobrepeso ou obesidade na adolescência e o o tabagismo predispõem a sua manifestação.

Cuide da sua saúde! É muito importante fazer acompanhamento de rotina com o médico e manter uma vida saudável. 💙

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *