0

O avanço na área médica e as melhorias nos cuidados básicos são ​alguns​ dos fatores que contribuíram para o aumento ​d​a expectativa de vida dos brasileiros. Entretanto, a qualidade d​o dia a dia​ nem sempre acompanha esse ritmo e, muitas vezes, é preciso contar com ajuda de outras pessoas para continuar a desfrutar da vida como ela merece.

E é aí que mora a dúvida de muitos idosos ou​ de​ familiares: qual o momento certo para contratar um cuidador? O questionamento é legítimo, afinal, ter a ajuda de terceiros para realizar tarefas simples do ​cotidiano​ pode causar constrangimentos​​ a quem precisa deles.​ ​Sem contar que não é fácil perceber que o corpo não é o mesmo​, os movimentos são feitos com​ menos​ velocidade​ e​ a memória não é mais tudo aquilo de antes.

A solução vem quando o cuidador passa a ser visto como um amigo. Não alguém que vai fazer as tarefas pelo idoso, mas com o idoso, para que ele tenha um dia a dia com menos restrições e preocupações, como horário para tomar medicação, por exemplo.

​Ter um cuidador não é sinal de velhice, pelo contrário, indica que ainda tem muita vida boa pela frente. Continue a leitura para saber tudo sobre o trabalho do cuidador de idosos e quando é a hora de contratar um.

Todo idoso precisa de um cuidador?

Não é porque é idoso que obrigatoriamente precisa de um cuidador. Atualmente, muitos idosos seguem a vida de forma independente, mesmo já tendo passado da casa dos 80 anos. Eles ​vivem a sua rotina sem problemas e socializam sem dificuldades. Nesses casos, a família pode considerar se precisa de um acompanhante ou não.

Entretanto, se o paciente já apresenta alguma debilidade ou limitação para se movimentar, tem perdas de memória, alguma doença crônica, sequelas de um AVC​ ou acidente​, ou ainda, alguma recuperação pós-cirúrgica, é fundamental contar com o apoio de um cuidador profissional.

Se o idoso vive sozinho e sente falta de companhia, também vale a pena pensar em alguém para auxiliá-lo no convívio social. A solidão é uma porta de entrada para a depressão e ter alguém para bater um papo, assistir a um filme, jogar uma partida de xadrez ou passear pode fazer muita diferença.

Pessoas acamadas também necessitam de um cuidador que ficará responsável por ajudar com medicações, banhos, refeições e o que for necessário.

A decisão de ter um cuidador, sempre que possível, deve ser tomada com o paciente.​ Afinal, ele precisa participar, se puder, dos procedimentos que dizem respeito à sua vida.

O que um cuidador de idosos vai fazer?

O cuidador de idosos ajuda na higiene pessoal, com as refeições, acompanha nas consultas, faz passeios e administra os cuidados necessários caso o idoso seja um paciente acamado, além de ministrar corretamente as medicações nos horários estabelecidos.

Por isso, além da companhia, os cuidadores de idosos precisam de capacitações e conhecimentos técnicos para auxiliar nos cuidados diários. É fundamental que eles possuam formações na área adequada para a função, como técnico de enfermagem ou cuidador de idosos com carga horária de no mínimo 90 horas.

Assim, os familiares ficam mais seguros ao confiarem todos os cuidados a profissionais especializados e não são sobrecarregados com os afazeres diários com o paciente. Por outro lado, o idoso tem à ​su​a​ ​disposição alguém preparado para atender tanto ​à​s suas necessidades médicas quanto sociais, uma vez que o cuidador de idosos o auxilia em atividades sociais e interação, um ponto fundamental para promover mais qualidade de vida.

O cuidado precisa ser diário?

Nem sempre é preciso cuidar do idoso 24 horas por dia, sete dias na semana. Em muitos casos, ​basta contar com um cuidador de idosos durante a recuperação de uma cirurgia ou em determinadas etapas do tratamento médico, ou ainda para um compromisso, como acompanhamento em supermercado, shopping, audiências judiciais, banco ou outros serviços.

​Aqui na Azo Cuidados, por exemplo, é possível contratar um cuidador de idosos durante o período de ​duas​,​ quatro,​ oito ou 12 horas, dependendo da necessidade. Dá até para solicitar um cuidador tecnológico para ensinar a instalar e usar aplicativos, enviar mensagens e fazer videochamadas pelo celular.

Veja também: Como manter um parente querido mais próximo quando a visita física não é possível

O que eu preciso saber sobre o cuidador de idosos?

Não basta apenas dizer que é cuidador de idosos.  Como a gente diz na Azo, ​apenas ​zelar não faz de alguém​,​ por si só​,​ um cuidador. É necessária a união do trabalho com a capacidade de ouvir o outro para sentir o que o ele precisa.

Por isso, além do cuidado físico, é imprescindível que o profissional saiba lidar particularmente com a necessidade física e emocional de cada indivíduo, especialmente no caso do cuidador de idosos. 

Desse modo, é preciso procurar alguém que tenha conhecimentos técnicos, mas também goste de cuidar de pessoas, seja paciente, tenha auto controle, seja parceiro e possua uma abordagem humanizada do tratamento com idosos ou pacientes debilitados.

E então, qual o momento certo para contratar um cuidador?

O momento certo para contratar um cuidador de idosos é aquele que a família percebe que a presença de um profissional capacitado irá contribuir para melhorar a qualidade de vida do familiar idoso, seja todos os dias, seja pelo período solicitado.​

Agora conta para a gente se essa dica foi útil para você. Aproveita para nos seguir no Instagram e nas outras redes sociais. Compartilhamos muitas dicas por lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *